Publicado em

Joystiq: Spore, de Will Wright, encerra uma GDC dedicada ao futuro

Esse artigo foi escrito originalmente por Ben Zackheim e publicado na Joystiq em 12 de março de 2005.

Imagem do designer
Will Wright, criador de Spore

Um dos temas da GDC desse ano certamente rendeu. Nós tivemos muitas ideias de grandes pessoas sobre para onde eles acham que a indústria está indo, com algumas demonstrações exibidas em uma boa quantidade. A apresentação e as demonstrações de Iwata, a apresentação e a demonstração de Allard, as ferramentas da próxima geração no saguão de exposições, e agora o anúncio de Spore, o primeiro jogo de Will Wright desde a série The Sims.

Claro, essa apresentação aconteceu quando eu estava voltando para casa. Não podia ser diferente. Mas parece que foi a maneira perfeita de encerrar uma GDC onde a essência dos jogos (na falta de uma frase melhor, acredite) esteve sempre a frente. Pelo que eu estou escutando, Spore é o tipo de jogabilidade emergente que pode tornar o sonho de Allard de um jogo com 20 milhões de unidades vendidas uma realidade. Ei, se alguém pode alcançar esse número, Wright é esse cara.

O jogo deixa você começar como uma forma de vida simples, surgindo de uma enzima. Você pode jogar o jogo de maneiras nas quais a forma de vida se desenvolverá de maneiras específicas. A partir daí, o jogo se transforma em um RTS (jogo de estratégia em tempo real), onde você se transforma em uma espécie de fazendeiro, controlando hordas de animais. Então você começa a interagir com o mundo a sua volta, de uma maneira simplificada de The Sims. Eventualmente, você poderá viajar entre planetas e sistemas solares. Aparentemente, a demonstração foi o verdadeiro destaque do show.

Será que Will Wright provou que o raio pode, sim, cair duas vezes no mesmo lugar?