Mais informações sobre as tecnologias de criação

O Kikizo publicou uma prévia repleta de detalhes técnicos sobre as tecnologias que o time está criando para Spore.

Ao que parece, os editores do jogo serão todos ferramentas com a mesma funcionalidade de arrastar e soltar:

“Nós estamos tentando fazer esses editores muito simples e muito expressivos também”, explica Will Wright. “Para cada estágio do jogo, existe um editor associado. Tudo o que você vai ver nesse jogo é criado pelo jogador, e compartilhado automaticamente com outros jogadores enquanto você joga, e esse é um conceito importante em Spore”.

Um dos primeiros editores que você vai usar está na fase de criatura, a segunda de seis etapas evolutivas do jogo. Começando com uma coluna simples, jogadores poderão espichar e alongar a espinha, criando a base de uma criatura. Nela, você pode começar a adicionar partes, escolhendo uma seleção de braços, pernas, e mais, arrastando elas e colocando em qualquer parte da base da criatura que você quiser. Você decide se ela será carnívora, herbívora ou onívora, e também se vai adicionar partes do rosto, texturas de pele, e detalhes finais — em qualquer lugar —, resultando em uma criatura selvagemente única.

A pintura será feita pelo computador. O jogador escolhe um padrão de textura e a cor, e o jogo entenderá como esse padrão de textura deve ser adicionado ao corpo da criatura:

“O que o editor realmente faz é permitir que o jogador médio replique, com poucos cliques, o que um artista da Pixar precisaria fazer com muito trabalho”, diz Wright. “Normalmente levaria um tempo para um artista de CG pintar e adicionar texturas, mas nós pensamos que o computador faria isso sozinho. Cada uma das opções que você tem representa um script de textura processual diferente, que entende coisas como de onde a luz está vindo, como deverá ser a sombra, como listras vão se espalhar, e tudo em minissegundos do que levaria um artista de textura vários dias para fazer”.

Bem como a textura, as animações também são feitas pelo computador, que analisa a forma e as partes adicionadas pelo jogador:

O próximo passo é animar a criatura. O computador vai analisar o que você construiu e mostrar como a criatura se movimentará no mundo, tanto comportamento quanto ações, e até mesmo exibirá tipos de ataque ou reações emocionais. Combinando com o estilo cartunizado do universo Spore, emoções e expressões serão feitas de um jeito exagerado e engraçado que é fácil de interpretar. “Jogadores terão uma diversidade tremenda de coisas que eles poderão construir”, conclui Wright.

Kikizo também descreve como será a jogabilidade das primeiras fases do jogo:

Basicamente, jogadores vão competir com outras espécies que outros jogadores criaram, e elas sempre serão diferentes e únicas. Controlando sua criatura em primeira ou terceira pessoa com o mouse e o teclado, jogadores vão simplesmente caminhar por aí nos primeiros estágios do jogo e procurar por comida para se alimentar e ganhar pontos de comida, uma das atividades mais importantes para ajudar no processo de evolução.

Como você provavelmente sabe, sobrevivência é a chave; você não precisará se preocupar com herbívoros comendo você, por exemplo, embora eles vão proteger o ninho se você chegar perto demais. Da mesma forma, suas tentativas de acasalamento são necessárias. Se você ver um membro da sua espécie com sinais de corações voando ao redor, significa que ele está pronto para o acasalamento. Um clique depois, nós vemos uma animação infantil de acasalamento antes de um ovo aparecer. “Nós ainda não sabemos como isso vai ser na hora de classificar a faixa etária do jogo”, comenta Will.

Quando os ovos estiverem prontos para chocar, jogadores voltarão para o editor e poderão usar os pontos que eles ganharam na geração anterior para reinvestir na criatura. “Isso é algo como a evolução”, explica Wright. “Eu posso conseguir pés melhores porque eu quero que ele ande mais depressa, e um par de braços a mais para que ele tenha oito braços, ou para mudar a aparência dele, então eu posso colocar uns olhos bobos ou algo mais sério, que pode deixar tudo bem diferente com uma mudança simples”.

Segundo Will, os editores serão algo de nicho para os jogadores. Como em The Sims, poucos jogadores realmente usam os editores extensivamente. A maioria dos jogadores prefere baixar coisas de fansites, e o jogo quer trazer toda essa estrutura para dentro com a Sporepédia, para que esse compartilhamento seja mais rápido.

Kikizo também detalha que, quando você evolui, sua criatura sai do editor como um filhote, e enquanto você é um filhote você deve aprender a interagir com seus “irmãos” para aprender mais habilidades. Isso vai fazer sua criatura mais social, o que será útil quando você quiser formar um bando. Quando esse bando estiver montado, você começa a fase da tribo.

Quando você atinge a fase espacial, você poderá ver todo o planeta, e observar o padrão metereológico dele. Enquanto tudo isso acontece, a Sporepédia organiza todas as criações que a sua criatura interagiu durante o jogo. Essas criações serão salvas como cartas de um baralho de Super Trunfo, e você poderá imprimir essas cartas e jogar com outros jogadores.