NintendoWorld: Prévia de Spore Creatures

NintendoWorld:

A premissa do jogo é bem simples. Você joga como uma criatura recém saída do ovo, chamada Oogie, que pode ser evoluída com várias bocas, braços, pernas e outros apetrechos usando uma versão simplificada do Criador de Criaturas. Partes adicionais permitem que você ataque, aumente sua defesa ou movimento, ou melhore suas habilidades sociais. Sua criatura pode ser alterada em qualquer ninho, que é um ponto de salvamento. No jogo completo você coleciona partes melhores conforme você progride, mas na demonstração da E3 várias partes estavam disponíveis para testarmos. Eu joguei pelo tutorial, que foi projetado para familiarizar os jogadroes com as várias opções de menu e ícones que são encontrados no jogo. Sua criatura irmã, que age como uma guia nessa sequência, é abduzida por um alienígena malvado voando em um OVNI, o que oferece a trama do jogo. Oogie eventualmente explora vários planetas na sua aventura.

Eu não sei porque a galera pega tão pesado com o Spore Creatures nos fóruns. É obviamente um jogo mais simples para crianças mais jovens que também querem se divertir com o Spore, mas não tem um computador forte o suficiente ou os pais ainda não deixam usar o computador. O Nintedo DS é um bom videogame que não tem muito poder de processamento, e o Spore Creatures faz bom uso dele mesmo assim. Eu com certeza vou testar o jogo quando ele for lançado!

Sporn vira assunto na CNN

Sporn, como a comunidade está chamando o “pornô feito com Spore”, é coisa antiga já, e as notícias sobre ele se acalmaram um pouco depois do banimento em massa de pintos da Sporepédia.

Hoje, a CNN aproveita para falar com Lucy Bradshaw sobre o assunto:

Vários sites populares de conteúdos criados por usuário também encontraram desafios similares para controlar material obceno. Em Second Life, usuários podem ler o Slusler, uma revista de cyberporn, ou comprar programas que permitem que eles tenham sexo animado com outros personagens.

“Seja modelando massinha, brincando com bonecas ou giz de cera, um pequeno número de pessoas vai usar o que puder para criar algo vulgar” disse Lucy Bradshaw, a produtora executiva de Spore.

Como o Spornmaster, um desenvolvedor web de 37 anos que recusou dar o seu nome para essa entrevista. Ele, como outros, passa horas criando personagens e transformando eles em seres sexuais.

“Veio simplesmente como algo bobo e infantil para fazer”, ele disse.

As criaturas não são apenas estáticas. Usuários podem criar cenários animados para as criaturas interagirem, e algumas incluem ações sexualmente gráficas.

Quando a EA soube das criações de sporn, começou a trabalhar com o YouTube para removê-los. Jogadores que enviaram “conteúdo ofensivo” várias vezes são avisados, suspensos e eventualmente banidos, segundo Bradshaw.