CEO da EA comenta estratégia de microtransações para Spore

O site Voodoo Extreme notou uma fala interessante do CEO da EA, John Riccitiello, na última reunião com os investidores:

“Eu adoraria imaginar que daqui a dois anos a dúvida será se nós teremos que criar uma marca para Spore dentro da EA”, Riccitiello disse, planejando uma franquia tão grande quanto The Sims, que possui sua própria marca.

Ele disse que adoraria “monetizar partes de corpo, partes de planta, partes de veículos, como uma forma de receita incremental na base de usuários de milhares de usuários ativos”.

Eu não gosto dessa ideia nem um pouco. É um pulo para eles começarem a nos cobrar pela Sporepédia, fora que isso ia fragmentar os jogadores e limitar aquilo que pode aparecer no seu jogo.

Mais prêmios da E3 para Spore

Mais uma leva de premiações da E3 2008 está saindo, e Spore aparece em algumas.

Os prêmios do 1UP já estão no ar, e o Spore ficou com uma menção honrosa na categoria Melhor Jogo para PC. O vencedor foi Left 4 Dead, da Valve, e outras menções honrosas foram para Fallout 3, Warhammer 40.000: Dawn of War 2, e Dark Room Sex Game.

No GameTrailers, Spore levou o prêmio de Melhor Jogo para PC. Ele também foi indicado para Jogo Mais Inovador, mas dessa vez quem levou foi o jogo LittleBigPlanet, da Media Molecule.

Will Wright fala sobre a criação de conteúdos comunitária de Spore

Newsweek:

Qual a sua estimativa de quanto tempo levaria para um time de artistas da Maxis pudesse criar 500.000 criaturas?

Will Wright: Bem, nosso time de cerca de 100 pessoas criou 15.000 itens para o banco de dados nos últimos 6 meses de desenvolvimento. Mas isso foi usando os editores de Spore também. Usando ferramentas tradicionais como a maioria dos desenvolvedores (Maya e 3D Max) um artista profissional levaria alguns dias para criar uma criatura como as de Spore. Um grande time de arte com 50 artistas trabalhando no projeto conseguiriam criar 500 mil criaturas em 55 anos, eu acho.