Prévia do Spore pelo Baixaki Jogos

O novo site da Zebra Networks, o Baixaki Jogos, publicou hoje uma prévia do Spore. Como sempre, você pode lê-lo abaixo ou clicando aqui, para acessar a fonte original.

De um ser microscópico a dominador do espaço: acompanhe toda a evolução de uma espécie.

Acompanhe os estágios da evolução de um ser microscópico até que ele se torne um conquistador de todo o Universo, nesse jogo de estratégia trazido pelos mesmos desenvolvedores de The Sims e SimCity. Com seu projeto audacioso, Spore já chamou a atenção do público na GDC de 2005, quando foi anunciado; mas foi apenas em julho desse ano que o jogo passou a ter todas as suas fases completas, ganhando uma versão alfa para testes fechados e uma demonstração em palco na Games Convention 2007, na Alemanha.

Se na série The Sims o jogador assumia comando das vidas de personagens dentro de uma casa, em Spore, esses atributos divinos foram mais longe, estendendo-se a ciclos evolutivos. Agora é preciso controlar um ser vivo, que passa por cinco estágios de sua existência: desde a fase celular, ao estágio de criatura, depois, formando uma tribo, em seguida, uma civilização, até chegar ao espaço.

Do sopão de proteínas às primeiras interações sociais

No primeiro estágio, a “fase da poça”, o jogador comanda um ser microscópico que deve sobreviver a um ambiente aquático, em que os mais fortes se alimentam dos mais fracos. Ao comer certa quantidade de outras espécies, o jogador desbloqueia a ferramenta de criação, que lhe permite personalizar sua criatura, alterando sua forma, adicionando algumas partes úteis ao seu corpo e aumentando seu tamanho. À medida que esse ser microscópico avança, aparece a opção de mudar-se para o ambiente terrestre, o que dá início ao próximo ciclo da evolução.

Antes de inciar sua exploração pelos novos terrenos, o jogador customiza seu personagem, aumentando-o de tamanho e adicionando diversas partes a seu corpo. A “fase da criatura” é marcada pela interação com outros seres da mesma espécie e os primeiros contatos, pacíficos ou não, com criaturas de outras espécies, criadas por outros jogadores. Apesar de Spore não oferecer suporte online, as criações de outros usuários são baixadas para o modo singleplayer, de maneira que o jogador possa interagir com essas outras espécies, as quais passam a ser controladas pela inteligência artificial.

Aqui, tal como no sopão de proteínas da fase anterior, vale a lei do mais forte. O jogador deve guiar sua criatura, coletando alimento, reproduzindo-se e evitando que ela seja devorada pelos predadores. Essa evolução gera pontos de DNA, os quais podem ser gastos para melhorar os atributos das criaturas a cada nova geração nascida. Para prosseguir para a fase seguinte, é preciso ter maiores interações sociais, explorando cada vez mais o território, e melhorar suas habilidades cerebrais.

Da tribo selvagem às maravilhas da civilização

A “fase da tribo” é marcada por uma jogabilidade simplificada do gênero de estratégia em tempo real. O jogador já não tem mais o controle sobre cada criatura, nem pode mais modificar sua aparência física; agora é preciso comandar uma raça inteira. O principal objetivo dessa fase é fazer com a sua população cresça, a partir da reprodução entre os membros da sua espécie, ou da incorporação de criaturas de outras tribos, trazidas por força de guerras ou por amizade.

Quando se atinge certo número de habitantes, o jogador pode passar de uma tribo para uma civilização, estágio no qual é possível personalizar prédios e veículos. A principal caraterística que marca esse estágio é a interação social mais complexa com outras civilizações. É possível se aproximar de outras culturas de maneira diplomática e pacífica, propondo alianças, ou por meio de guerras e dominação, chamando-os para o campo de batalha.

Seja qual for o método, o seu objetivo final é dominar o planeta inteiro. E para ter o controle dos territórios já conquistados, o jogador pode ter uma visão mais ampla do cenário, vendo todo planeta do espaço. Também é possível construir diversos meios de transporte para se chegar a locais mais distantes, como aviões, navios, submarinos e veículos terrestres.

Rumo ao espaço, a fronteira final

Depois de ter todo o planeta sob o seu poder, o jogador pode se aventurar pelo espaço, onde não há fronteiras para suas conquistas. No seu caminho em busca de novos planetas, o jogador se depara com outras espécies mais evoluídas e, novamente, pode optar por entrar em guerra, estabelecer uma relação diplomática, ou, simplesmente, ignorá-las. Ao colonizar um novo planeta, o jogador pode ainda mudar o clima da região para que sua espécie se adapte melhor ao novo lar.

Essa fase é a mais aberta de todas, dando total liberdade de ação ao jogador. Ainda assim, o é possível escolher alguns objetivos para seguir, os quais o ajudarão a conquistar todo o seu sistema planetário e, mais tarde, exercer o domínio sobre a galáxia inteira.

Criatividade sem limites

Uma das características mais interessantes de Spore é o editor, o qual permite que se personalize vários elementos dentro do jogo, desde as criaturas, suas construções e veículos, até um planeta inteiro.

O editor de criaturas, dá total liberdade de criação para o jogador, permitindo-lhe fazer um animal exclusivo, nunca visto em manuais de biologia. Uma criatura com um olho no pescoço e bocas nas mãos, outra com três pernas e um par de asas nas costas, ou ainda uma com quatro pernas no lugar dos braços e os braços onde deveriam estar as pernas, são alguns dos exemplos de aberrações da natureza que podem ser criadas com essa ferramenta. E o mais impressionante: a movimentação da criatura não é afetada, sendo bastante convincente. Ou seja, não importa o quanto estranhas pareçam, elas andarão, pegarão objetos e emitirão sons normalmente… Ou quase normalmente.

O processo é parecido com a montagem de um lego: depois de estabelecer a base do corpo da criatura, o jogador vai adicionando outras partes, como pernas, braços, bocas, olhos, antenas, asas. Outra parte importante desse editor é a escolha de cores, texturas e padrões de desenhos, o que torna as criaturas ainda mais únicas. O editor de objetos, funciona a partir da mesma premissa de adição de partes do componente a uma base, como colocar turbinas, asas e rodas em um avião.

Ainda há muitas características a serem reveladas sobre o novo jogo de Deus de Will Wright, no qual se elevar um ser pequenino ao status de dominador do Universo. Mas, desde já, Spore impressiona pelas complexas ferramentas de criação, bem como pelos belos gráficos, além, é claro, pelo próprio projeto ambicioso que certamente chamará a atenção dos fãs de simuladores e de estratégia. O jogo sairá para o PC e o portátil DS nos primeiros meses de 2008.