Até mesmo o co-fundador da Maxis acha que a EA é paranoica contra a pirataria

A Cordweekly entrevistou Jeff Braun, co-fundador da Maxis que deixou o estúdio depois da compra da EA, em 1997. Ele deu sua opinião sobre o que acha de Spore:

“Eu não sei se [Spore] vai ser popular como Grand Theft Auto. É um jogo que está lidando com assuntos esotéricos que definitivamente não estão na mente das pessoas — coisas como evolução, biologia e todas as coisas que estão no jogo. Eu acho que The Sims era mais próximo do que as pessoas estavam acostumadas, do que criar planetas e universos.”

“Eu não sei se Will se importa com isso. Ele cria as coisas para si mesmo e se alguém também gostar, então ótimo. Se ninguém gostar, não tem problema também. Ele não está tentando criar algo para o mercado, e sim para si mesmo.”

Ele também comenta os métodos da EA para tentar conter a pirataria do jogo:

“Isso nunca me incomodou na verdade, eu sempre pensei nisso mais como publicidade gratuita.” Braun também notou a recente repercussão contra as técnicas de proteção contra cópias que a EA pretende colocar no Spore. Ele achou que elas eram muito rígidas, “mas isso é com a EA”.