GameDaily: 30 minutos com Spore

GameDaily:

30 minutos jogando Spore — mesmo com um game designer célebre como Will Wright falando ao seu lado para “voar até ali” e “experimente esse estágio” — e não foi nem perto do tempo suficiente para ver o que é possível nesse jogo do mesmo criador do recordista de vendas de The Sims.

A grande dúvida continua: o homem por trás de The Sims vai conseguir lançar outro sucesso gigantesco? Ao permitir que jogadores criem formas de vida únicas e as guie pela existência através de cinco estágios — célula, criatura, tribo, civilização e espaço —, vendo-as evoluir e, quando atingir o ápice, se afastar pelo espaço até Alfa Centauri. É um jogo repleto de coisas que fãs de ficção científica vão amar. Mas não-jogadores ou jogadores casuais vão correr atrás de Spore como eles correram atrás de The Sims?

O Spore da inovação

Gamer 2.0:

O compêndio de escolha da Spore é impressionante. O jogo funciona nos bastidores, calculando resultados como o vasto algoritmo de uma inteligência artificial, e transforma uma idéia abstrata controlada pelo usuário em algo visual. A colocação de mandíbulas ou garras pode determinar se uma criatura é herbívora ou carnívora, passiva ou agressiva, e isso, por sua vez, rege um subconjunto de padrões comportamentais. Venha a um planeta em paz e você pode ser comemorado. Venha a um planeta com más intenções e você pode muito bem ser empurrado sobre o oceano dos outros e destruído. Isso pode parecer óbvio. Mas à medida que mais e mais componentes binários são reunidos, o jogo vai além de uma simples escolha de bom e mau, e esse vasto gradiente se torna algo muito mais complexo e integrado. Começa a refletir a própria vida e, da maneira como vemos a gravidade como um conceito simples, apesar de seus vastos fundamentos computacionais, Will Wright destila sem esforço o complexo em uma série de opções fáceis de digerir.

Hackers conseguiram tirar o DRM do Criador de Criaturas

Ah, bem, se isso não é um tapa na cara da EA. Você simplesmente não pode evitar a pirataria, não importa o lixo de DRM que você tenta colocar nos seus jogos. Nós (os usuários legítimos) somos obrigados a ter DRM para nos impedir de piratear o jogo — nós só temos 3 instalações por cópia do jogo, então temos que entrar em contato com a EA para obter uma nova chave.

Bem, parece que uma equipe chamada ViTaLiTY finalmente criou uma versão completa do Criador de Criaturas. E sabe de uma coisa? De acordo com os comentários, até mesmo o upload completo para a Sporepédia funciona, já que o site a detecta como uma cópia legítima.

Agora estou realmente muito irritado. Eu sei que a pirataria não pode ser evitada… mas por que a gente precisa obedecer as regras da EA depois de pagarmos por um jogo, enquanto os hackers podem fazer o que quiserem?

Ei, EA - vê se entende isso. Assim que o Spore for lançado, os hackers levarão duas semanas para hackear o jogo. Na verdade, provavelmente será menos do que isso, já que agora os hackers estão familiarizados com esta versão do SecuROM, que será a mesma versão que será usada quando Spore for lançado.

Que tal vocês desistirem de toda essa proteção, lançar um pedido de desculpas aos jogadores e ver onde isso vai levar? Claro, o jogo estará nos sites piratas muito mais rápido, mas pelo menos os jogadores legítimos vão comprar seus jogos e recomendá-los a outras pessoas. O boca a boca percorre um longo caminho, e até agora o boca a boca não está ajudando o Criador de Criaturas.

Eu quero continuar apoiando vocês, EA. Na verdade, eu mesmo saí para comprar uma cópia do Criador de Criaturas depois que você me enviou alguns dias antes da data de lançamento… Tenho certeza que outros gostariam de poder comprar seus jogos também, mas o seu DRM está segurando muitas pessoas!