GameSpy: Prévias de Spore na E3

GameSpy:

Sempre que você examinar criaturas, mundos ou sistemas solares, você coletará um “cartão” virtual que o representa. Esses cartões parecem com algo que você vê em jogos de cartas colecionáveis: eles contém uma imagem da criatura ou planeta, junto com estatísticas e informações. Se você clica no cartão de um planeta, você verá todos os cartões representando as criaturas que vivem naquele planeta — algo como uma rede virtual. Essa forma fácil de navegar por todo o conteúdo que você explorou se chama “Sporepédia”.

Ao entrar na fase do espaço do jogo, o objetivo passa a ser melhorar a sua nave, que é basicamente o avatar do jogador nessa fase. É você que decide como vai fazer isso. Você pode explorar mundos estranhos ou interessantes, encontrar artefatos alienígenas enterrados em planetas, que vão dar à sua nave novas habilidades (como armas ou ferramentas de terraformação). Ou você pode fazer acordos com outras civilizações avançadas para trocar por tecnologia.

[…]

Raças alienígenas podem comunicar com o jogador usando uma interface simples. Eles podem ameaçar você ou oferecer paz, e você pode responder com um conjunto de respostas de múltipla escolha. Os bípedes verdes que estavamos torturando nos disse que eles iam lançar um ataque contra nosso planeta natal, e Wright disse para eles mandarem ver. Eles mandaram, e nosso planeta nos contatou com notícias de que eles estavam sob ataque. Nossa reputação como valentões galácticos implacáveis já estava se espalhando…

A GameSpy também teve a oportunidade de entrevistar Will Wright, e conseguiu mais algumas informações. O jogo deve ser lançado entre abril e maio de 2007, e será lançado em todas as plataformas, incluindo celulares, mas o lançamento inicial será apenas no PC. Wright comentou que essa é a última E3 em que o jogo será exibido, e que a EA não impôs uma data limite porque não quer que eles estraguem o jogo. Atualmente, a equipe de Spore tem cerca de 70 pessoas, o que é pequeno comparado com a maioria dos times de grandes jogos por aí, incluindo The Sims. Wright também comentou sobre mais inspirações e o PlayStation 3, você pode conferir tudo na entrevista.

UOL Jogos: Spore Impressiona

Nenhuma informação nova na prévia do Spore no UOL Jogos, apenas uma descrição da demonstração:

Um ecossistema começa a ser formado dentro da escala de evolução do jogo, quando Spore adquire uma identidade de SimCity, pela construção e administração de uma cidade. Nesse ponto, já possível passear pelo planeta e fazer contato com outras civilizações.

Isso é feito com naves espaciais, que parecem muito divertidas de se pilotar. É possível abduzir outras criaturas para levá-la ao seu ecossistema e, naturalmente, deixar o planeta para trás, partindo para a galáxia. Os planetas são diferentes entre si, visualmente falando, e existe um dispositivo, chamado Sporepedia, que lista as criaturas.

O contato com outras civilizações também pareceu divertido: Wright soltou fogos para conquistar a simpatia dos habitantes, mas logo depois destruiu o local, mostrando a porção Civilization, com as batalhas.

Spore será uma ferramenta de vida praticamente infinita, repleta de missões secundárias, oferecidas por outras civilizações controladas pelo computador. Some-se a isso o modo online e, efetivamente o jogo, que não impressiona pelo visual, mas sim pela concepção, atesta a competência e a maluquice do pai dos Sims.

IGN: Spore, demo e primeiras impressões

IGN:

Uma das coisas mais legais foi ver que a demonstração de hoje foi feita com o jogo, e não com o protótipo exibido no ano passado. A arte é consistente com o oque já vimos nos eventos anteriores, mas parece ser mais detalhada e refinada que antes. Will Wright também mostrou algumas coisas novas como o mapeamento de texturas nas criaturas e um pouco de jogabilidade, como uma versão bebê da criatura que você criou.

A demonstração começou com uma olhada no editor de criaturas atualizado, que tem um visual um pouco diferente do que vimos antes. O criador em si ainda tem as mesmas funcionalidades. Cada criatura inicial possui um corpo com uma vértebra que pode ser modificada usando a roda do mouse para fazer suas seções mais magras ou gordas. Depois disso, é apenas uma questão de adicionar braços, pernas, olhos, orelhas, bocas, pés, mãos (ou garras) e decorações.

Todas essas partes do corpo também podem ser modificadas. As juntas podem ser engordadas ou emagrecidas usando o mesmo método de manipular a vértebra, segmentos podem ser alongados ao arrastá-los em direções diferentes, e tudo pode ser aumentado ou diminuído.

A IGN também postou um vídeo da demonstração de Will Wright para a imprensa:

Spore na E3 2006

Finalmente! Muitas coisas aconteceram nos últimos dias. Spore foi anunciado oficialmente! Temos um novo trailer! Muitas novas imagens! E muitas novas informações, então vamos começar.

A demonstração foi muitíssimo bem recebida pelos sites afora. Você já pode conferir as impressões do UOL Jogos e do Finalboss. As prévias da IGN, GameSpy e do GameSpot descrevem em detalhes o que foi apresentado (o GameSpot também tem impressões do editor de criaturas).


Vídeos

A apresentação de Spore na E3 esse ano começou com o primeiro trailer do jogo. É uma animação que conceitua as fases:

A IGN também publicou um vídeo com a demonstração de Will Wright no painel de Spore, são 18 minutos com um pouco das fases de criatura e do espaço:

E um vídeo com jogabilidade (tanto o editor de criaturas quanto as fases de criatura e espaço) pra ser usado como “B-Roll” em reportagens vazou no YouTube:


Novas informações sobre as fases, jogabilidade e a Sporepédia

O anúncio oficial revelou as fases de Spore mais claramente. São seis:

  1. Fase da Poça, que se parece com Pac-Man, onde você controla uma célula que precisa se alimentar e sobreviver numa poça d’água.
  2. Fase da Criatura, baseada em Diablo e GTA, um mundo aberto onde você se socializa ou caça outras criaturas em um continente do seu planeta, enquanto evolui suas habilidades e cria um bando.
  3. Fase da Tribo, baseado em Populous, quando seu bando cresce e adquire inteligência, vocês constroem cabanas e ferramentas e lutam ou se aliam com outras tribos.
  4. Fase da Cidade, baseado em SimCity, você constroi e gerencia a sua primeira cidade.
  5. Fase da Civilização, baseado em Civilization, você entra em contato com outras cidades no mundo, seja através de economia ou de batalha ou de cultura, tendo que conquistar essas outras cidades no mundo inteiro.
  6. Fase do Espaço, a fase final, onde você controla uma nave espacial e explora a galáxia.

Graças à extensa cobertura de vários sites, nós temos muitas novas informações sobre a jogabilidade e o sistema de compartilhamento.

Todo o sistema de envio e download de criações similar ao Exchange do The Sims vai se chamar Sporepédia. É um sistema poderoso que agrega todo o conteúdo do jogo e o organiza na galáxia do jogador. Segundo o GameSpy:

Sempre que você examinar criaturas, mundos ou sistemas solares, você coletará um “cartão” virtual que o representa. Esses cartões parecem com algo que você vê em jogos de cartas colecionáveis: eles contém uma imagem da criatura ou planeta, junto com estatísticas e informações. Se você clica no cartão de um planeta, você verá todos os cartões representando as criaturas que vivem naquele planeta — algo como uma rede virtual. Essa forma fácil de navegar por todo o conteúdo que você explorou se chama “Sporepédia”.

Em entrevista ao USA Today, Will Wright diz que você terá uma página personalizada na Sporepédia, com suas criações, e ela permitirá que você adicione outros jogadores como amigos, e o jogo irá fazer o download de suas criações automaticamente, sempre que novas criações forem enviadas para o catálogo. O recurso se chamará “lista de amigos”, que é parecido com os amigos do Orkut.

O editor de criaturas começa com uma vértebra simples, e você pode alterá-la, diminuí-la ou aumentá-la, mudar de forma ou de musculatura, e daí começar a adicionar bocas e braços e patas e armas. As texturas são processuais — você seleciona um padrão (como bolinhas coloridas ou escamas) e as cores, e essa textura será aplicada na criatura automaticamente. A IGN comenta:

A demonstração começou com uma olhada no editor de criaturas atualizado, que tem um visual um pouco diferente do que vimos antes. O criador em si ainda tem as mesmas funcionalidades. Cada criatura inicial possui um corpo com uma vértebra que pode ser modificada usando a roda do mouse para fazer suas seções mais magras ou gordas. Depois disso, é apenas uma questão de adicionar braços, pernas, olhos, orelhas, bocas, pés, mãos (ou garras) e decorações.

Todas essas partes do corpo também podem ser modificadas. As juntas podem ser engordadas ou emagrecidas usando o mesmo método de manipular a vértebra, segmentos podem ser alongados ao arrastá-los em direções diferentes, e tudo pode ser aumentado ou diminuído.

No jogo, você poderá encontrar criaturas com interações mais sociais ou agressivas. Ao que parece, isso depende dos “acessórios” que você escolhe para as suas criaturas — uma boca com dentes ou uma garra o tornará mais agressivo; uma boca maior permite cantar, e patas fofinhas vão permitir abraçar. O GameSpot descreveu em detalhe como isso funciona:

Peças se “grudam” onde você quer formar articulações, e dependendo do tipo de partes que você usa em sua criatura, sua natureza será diferente. Por exemplo, você pode criar uma criatura parecida com uma planta que é dócil com grandes sensores através de suas antenas, ou criar um monstrinho bruto com braços de gorila e garras e espinhos e coisas rasgando o corpo dele.

Pelo visto as fases serão divididas, e você não vai progredir de uma fase pra outra “naturalmente”. Na hora que você tiver realizado alguns requisitos básicos, você clicará em “evoluir” para seguir para a próxima fase. Isso significa que você pode ficar o tempo que quiser em cada fase, e não haverá “meios tempos” — tipo construir uma cabana na fase da criatura para criar uma tribo. Isso será feito apenas ao passar de fase.

“Aparentemente, quando sua criatura sai do ovo, você começa a vida como uma versão ‘bebê’”, o GameSpot comenta em outro artigo:

Wright navegou pelo mundo com a pequena monstruosidade, ‘incomodando os vizinhos’ ao se aproximar do território de outros herbívoros super-protetores, depois usou uma outra forma de ‘chamar’ para atrair outras criaturas da mesma espécie, criando um bando. Bandos eventualmente formarão a base das sociedades primitivas da fase tribal do jogo — aparentemente, uma vez que você alcance essa fase, você vai librar o ‘editor de cabanas’ para projetar o visual das cabanas das suas criaturas, e quando você avançar para a fase da cidade, você poderá criar prédios modernos e até mesmo a flora do ambiente.

As reações à demonstração foram bastante positivas, e ao que tudo indica o jogo já está quase pronto. Em entrevista ao GameSpy, Wright revelou que a data que eles esperam lançar o jogo é abril ou maio de 2007, e que o time de 70 pessoas (bem menor do que uma grande produção como essas costuma ter) trabalha em refinar os balanços do jogo. Spore será lançado em todas as plataformas, incluindo celulares, mas a data de 2007 é apenas para a versão de PC. A EA não está forçando uma data limite para o lançamento, porque a distribuidora tem grandes expectativas e não quer que eles “corram e estraguem”.

Trailer (e logo!) oficial de Spore

Pra abrir a enxurrada de novas informações da E3 esse ano, o GameSpot acabou de divulgar o trailer oficial de Spore.

É uma animação que não inclui clipes de jogabilidade, mas exibe toda a evolução do Willosaur, a criatura que está sendo mostrada nas demonstrações do jogo. Confira!

Diretamente da EA, confira o novo logo oficial!

Logotipo de Spore, com uma galáxia no lugar da letra “o”