Entrevista de Will Wright na Wired

Novas informações sobre Spore foram divulgadas numa entrevista de Will Wright para a Wired (leia aqui, em inglês). Will menciona que não haverá o desenvolvimento de religiões no jogo, mas que isso pode ser feito pela imaginação do jogador, já que a postura “cultural” na fase de civilização é pseudo-religiosa.

Will Wright também diz que planeja que expansões pro jogo devem torná-lo mais amplo do que aprofundá-lo. Isso significa que ele quer pegar partes do jogo e adicioná-las em outras ideias diferentes, mas que usam a mesma tecnologia.

A tecnologia de animação é o que mais anima o Will. Ele comenta que a Maxis criou uma tecnologia de animação processual, que é totalmente nova. O jogo vai calcular como a disposição das “partes” das criaturas devem se comportar sem a necessidade do jogador se preocupar com isso na hora da criação.

Sobre as inspirações: além de Powers of Ten e 2001: Uma Odisseia no Espaço, referências que todo o mundo usa na hora de falar de Spore, Wright diz que muitas outras inspirações vem de livros de ficção científica, e também pelo seu interesse no projeto SETI, que é um movimento de pesquisa sobre vida fora da terra. Ele também diz que pretende, com Spore, dar “uma visão global e inspiradora da realidade, como uma epifania induzida pelo computador”. O jogo vai trazer discussões teológicas, filosóficas, ao mesmo tempo que precisa ser divertido e jogável.