Os erros e os acertos da EA em 2008

Todo o mundo aqui sabe que a EA é a maior distribuidora de jogos, e quando você é grande como a EA você precisa aceitar suas falhas para poder melhorar. O Gamasutra descreveu cinco dessas falhas e cinco dos acertos da EA nesse ano. Eu não concordo com tudo, mas os pontos deles sobre a EA Sims e a Maxis são bons:

EA Arrasa (The Sims Division)

Um dos anúncios menos discutidos mas mais interessantes na GDC esse ano foi Rod Humble anunciando The Sims Carnival. Humble é uma figura importante nos circulos de jogos de arte com seus projetos como o jogo The Marriage, e seu papel como líder do estúdio de The Sims na EA está dando alguns resultados interessantes de como a franquia está se expandindo.

EA Fracassa (O doloroso nascimento de Spore)

Vamos encarar a realidade, pessoal. O Spore de Will Wright é a “próxima grande coisa” há muito tempo já, e seu período de desenvolvimento arrastado demais está pesando. O título ganhou vários prêmios de Melhor da E3 em 2005, faça-me o favor.

Embora ainda não chegue aos níveis vergonhosos de Duke Nuken Forever, quanto mais a gente entende sobre esse lindo projeto da Maxis mais nós vemos o quão abstrato seu conceito é, e mais a gente entende que o jogo para PC foi alongado para os consoles e celulares para fazer o investimento de desenvolvimento valer a pena.

O jogo pode até ser uma obra-prima, mas seu nascimento está testando a paciência de todo o mundo e pode envergonhar a EA.

Prévia de Spore pelo Spore Zone

Nosso amigo ChEeTaH do Spore Zone teve a chance de ver Spore de perto na EA do Reino Unido e dá uma bela visão geral de cada fase do jogo, dos Criadores, da Sporepédia e do Spore Creatures e Spore Mobile.

O jogo está ficando muito bom. As mudanças desde 2006, quando eu o vi pela última vez em ação na E3 em Los Angeles e na Games Convention em Leipzig, são imensas. O jogo está bem colorido e a interface de controles é intuitiva. A Sporepédia é um elemento excelente que torna o compartilhamento das suas criações bem fácil. As versões para DS e Mobile são de acordo com o que elas devem ser, mas não são do meu gosto. Elas não vão prender a minha atenção por muito tempo, diferente da versão para PC que tem tudo.

O jogo dá muita liberdade e permite que você seja bem criativo. Você pode gastar todo o seu tempo com os editores e não precisa jogar o jogo em si. Se você não é do tipo criativo, você pode só baixar umas criações e sair jogando com elas. Não importa, já que o que você faz no seu jogo não afeta os jogos de outras pessoas. E, sendo um jogo da Maxis, ele é bem engraçado e vai fazer você rir o tempo inteiro. Mesmo com os atrasos, parece que a Maxis vai entregar o jogo que eles estão prometendo desde 2006.

O jogo será lançado na primeira semana de setembro desse ano. Requisitos de sistema não foram divulgados, mas segundo a EA o jogo escala bem e não vai precisar de computadores muito poderosos para rodar.

Spore Creatures: classificação indicativa, vídeo e prévia

O órgão americano que faz a classificação indicativa de idade para jogos, o ESRB, deu a classificação de E10+ para Spore (equivale à nossa “maiores de 10 anos”). Títulos dessa classificação podem possuir violência leve, cartunizada ou fantasiosa e alguns temas sugestivos.

O GameSpy publicou uma prévia rápida do jogo:

Sua criatura pode ser controlada tanto pelo D-Pad quanto pela tela de toque ao estilo de Phantom Hourglass. Pode ser repetitivo, mas gostamos que podemos escolher como queremos controlar nossas criaturas.

E aqui um vídeo do jogo em ação!