Todos os consoles chegam ao Spore

O Joystiq postou uma imagem fantástica hoje de uma apresentação do Spore na GDC:

Wii, GameCube, Xbox 360 o controle do PlayStation 3 como criações do Spore

Essa imagem mostra a versatilidade dos criadores do Spore. Essas são criações na forma do Wii, do GameCube, do Xbox 360 e do controle bumerangue do PlayStation 3 (que desapareceu do mundo real, deve ter ido direto pra galáxia de Spore).

Primeiras impressões do Spore Creatures

O GameSpot teve a oportunidade de experimentar o Spore Creatures no Nintendo DS. Eles começaram um jogo novo e em pouco tempo conseguiram personalizar a criatura. A prévia também revela que a história do jogo inclui combate entre criaturas, mas não fica claro se você pode assumir uma postura mais sociável.

Confira um pouco sobre o Criador de Criaturas abaixo, e confira a prévia completa aqui (em inglês):

O editor de criaturas é bem simples de usar. Conforme sua criatura vai subindo de nível (serão 30 níveis no total), você ganha mais pontos de corpo, que podem ser gastos em partes do corpo. Cada parte do corpo terá uma característica diferente, definindo suas características sociais, de ataque ou de defesa. Você pode se dedicar a uma característica única, se quiser, ou tentar balancear as três. Características de ataque e de defesa obviamente ajudarão sua criatura a ser mais poderosa no combate, enquanto a característica social vai ajudar sua criatura a se tornar mais atraente e a lidar com criaturas não hostis.

Liveblog da palestra “Música Processual em Spore”

Os desenvolvedores responsáveis pelos sistemas de música de Spore, Kent Jolly e Aaron McLeran, deram uma palestra na GDC esse ano sobre como a música do jogo é gerada processualmente (como as animações das criaturas e o clima de um planeta, baseando-se em uma série de fatores do que está sendo simulado dentro do jogo).

Eles também demonstraram como é o Criador de Hinos do jogo! Ainda bem que o GamingSteve estava lá e fez um liveblog. Aqui está a parte sobre o Criador de Hinos:

12:52 – Estão mostrando onde você pode personalizar a música. Você pode fazer isso na fase de Civilização, nós estamos vendo o Criador de Hinos da cidade.

12:55 – Você pode definir a batida, o tom e o ambiente de uma cidade. O Criador de Músicas funciona muito como os outros editores do jogo — bem simples de usar e mesmo assim capaz de coisas complexas.

12:56 – Você pode salvar a música e compartilhar ela como qualquer outra coisa que você cria no jogo.

Desenvolvedor de Spore comenta que a equipe quer fazer expansões

Nós sabemos que isso vai ser inevitável. Se fizer sucesso, Spore vai receber expansões. Will Wright já comentou isso no passado, que alguns recursos que foram cortados do jogo devido ao tempo de produção podem voltar como expansões. Se Spore não receber um pacote de expansão sabemos que ou ele fracassou nas vendas, ou que ele receberá novas versões frequentes, como o FIFA.

O produtor Thomas Vu deu a deixa nesse artigo no Computers & Videogames:

“Falando como um desenvolvedor, nós sempre queremos mais. Com um jogo como Spore, quando você começa a imaginar o que poderia ter, o escopo é enorme”, Vu nos disse semana passada.

Ele explicou que, por causa da natureza de Spore, a Maxis teve que sentar e decidir especificamente o que precisaria estar incluso no jogo, mas disse que “isso equivale a algo como 1% do que nós queríamos fazer”.

Analistas acreditam que Spore venderá entre 3 e 5 milhões de cópias em um ano

Spore será um grande hit ou uma decepção? Não temos como prever ainda. Eu acredito que Spore tenha o potencial de ser um hit do tamanho de The Sims, com todas as suas possibilidades de criação de conteúdo personalizado e a capacidade de expandir o jogo em qualquer direção que a Maxis quiser. Mas, realmente, não temos como prever.

Quatro analistas questionados pelo site TheStreet acreditam que as vendas de Spore vão ser em torno de 3 a 5 milhões de cópias em seu primeiro ano:

“Eu acho que Spore vai vender no mínimo 3 milhões de unidades físicas, e se for tão bom como parece ser ele tem o potencial de fazer o dobro” disse Michael Pachter, um analista na Wedbush Morgan, que não possui ações ou um relacionamento de investimento com a EA.